Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Trovador Romântico

Cecília, noite toda úmida de seu mel 
dedilha com amor o cobiçado anel
Enamorado lhe faço um convite galante
seu esfíncter ao redor de minha glande

Cavalga-me serei cavaleiro fiel
você dama do lago ardente em seu véu
Formado em mim por ti,  virilha e ventre
que navega faminta atrás e à sua frente

Pois com goles de vinho adivinho seu ato:
seus lábios de fel que com gosto me felam
na esperança vadia por meu dulcíssimo gozo!

E faço do meu mimo um deleite e maltrato:
seus mamilos e rabo e nossos lábios selam
na fome que fartado em ti enfim me repouso...

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Para abrir o apetite

O mimo e maltrato
são melhor sentidos
um após o outro

terça-feira, 9 de junho de 2020

O efeito pedagógico da eleição de Bolsonaro.

O Bolsonarismo é uma doença oportunista que se instalou em nosso país fragilizado por uma doença chamada Anti-política. Uma doença que acomete um país que tem suas instituições do Estado democrático de direito sucessivamente atacadas por um determinado grupo para um determinado fim.

Pode-se dizer que é uma doença crônica do Brasil onde os Vermes do Fascismo estão sempre a espreita para lhe parasitar novamente.  O Estado Democrático de Direito estava talvez que pela primeira vez em nossa república avançando para sua consolidação. Um presidente eleito democraticamente passar a faixa presidencial para outro presidente eleito democraticamente é fato raro em nosso país.  Se falarmos então de partidos de espectros opostos da política só temos um único caso. 

Pois falemos desse único caso. Os tucanos ao se despedirem da faixa presidencial em 2002 disseram um até breve para ela. Tinham criado um apego anormal pois afinal, quatro anos antes numa jogada fantástica aprovaram a reeleição e contaram com a colaboração do em geral da República para deixar tudo limpo por lá.  Feita a manobra e cutucando as chagas da democracia foi-se indo nossa república fingindo que ninguém via as emendas e remendas costuradas nos acordos para pagar a votação da reeleição do padrasto do Real. 

Sim Fernando Henrique Cardoso é padrasto cujo o pai Itamar Franco à época  discordava um bocado dos rumos da educação econômica que o Real vinha seguindo muita cabeça baixa pro FMI e pires na mão. Era tanto neoliberalismo que veio o apagão pela absoluta falta de investimento no setor energético do país. Itamar que não tinha sido eleito presidente mas que como vice assumiu depois do impedimento do Collor, sim aquele que a Globo manipulou o debate pra ganhar a eleição, lançou o real no final do seu mandato. 

Itamar Ficou olhando a política de lado quatro anos e voltou como governador de Minas descontente com FHC, controlando Furnas a maior hidrelétrica totalmente nacional em plena crise energética ( essa história é muito divertida pesquisem), que naquela época já tinha um ilustre ex deputado do ARENA como seu conselheiro Aécio da Cunha pai do Aécio (da Cunha) Neves nosso escondido deputado que já foi tão chamativo governador e senador. Enquanto existir São João del Rey  Aécio tem garantido seu foro privilegiado. Aécio ainda usou o Itamar para garantir um mandato de senador pro Perrella (https://youtu.be/4nxNib41W1A) colocando o Perrella como primeiro suplente do Itamar aos oitenta anos concorrendo ao cargo de Senador de oito anos de duração.  Quem é que no Brasil presta atenção no suplente de Senador? No máximo lembravam o Itamar brigador lá da época do FHC ou só foi mesmo pelo controle total da imprensa mineiros feito por Andrea Neves.
Provavelmente não conhecem a Andrea Neves a verdadeira governadora de minas entre 2002 e 2010 enquanto o Aécio alternava entre sua cobertura no Leblon e fechar uma ala do Hospital Mater  Dei .  Pode procurar uma notícia negativa, uma crítica, um jornal Mineiro chamando o Aécio de bobo entre 2002 e 2014 que não encontrará. Foi no seu feudo que Aécio se blindou totalmente dos escândalos como a lista de Furnas onde seu pai foi conselheiro até 2010 e processos inúmeros que nunca eram investigados, julgados.  (Googla ai Aécio prescreve) e também escapou da Guerra de Alckmin e Serra,  os tucanos de São Paulo.

Serra, Alckmin, Serra, Aécio, Alckmin. Enquanto o PT ao perder sucessivas eleições mantinha sempre o Lula lá como cabeça de chapa. O PSDB nunca firmou ninguém. Não que o PT tenha feito o melhor governo do mundo mas o PSDB conseguiu se sabotar bastante ao longo de todos esses anos. A cada disputa eleitoral se alternavam em atacar-se internamente para conseguir ser a escolha do partido também moviam uma rede para atacar o PT. 

Todo e qualquer partido político no mundo tem sua base de apoio em algum grupo de indivíduos que se identificam com aquela sigla, o pt com os sindicatos e trabalhadores rurais, o PSOL com os universitários, o novo com os banqueiros, já o PSDB  sempre esteve ligado aos grupos de mídia e ao judiciário. Vide a Andrea Neves em minas e e o pai do ex-Juiz Sérgio Moro fundador do PSDB de sua cidade. As ligações dos partidos são esperadas e até naturais entretanto o PSDB ao perder sucessivas eleições começou a mover essa rede de apoio de uma maneira que começou a ferir nossa democracia.

Os sucessivos processos judiciais contra o partido dos trabalhadores que se moviam numa velocidade nunca antes vista em nosso judiciário e tomando decisões nunca antes tomadas com uma cobertura de imprensa escandalosa sobre fatos mínimos gerou uma perseguição jurídica e midiática cujo objetivo era tirar o PT do poder a qualquer preço. 

Mas o preço foi mais caro do que qualquer um poderia imaginar. A cada matéria jornalística que se massacrava o PT não se massacrava só o partido mas todo o sistema político levando a descrença generalizada.  Levando ao desprezo igualitário a todo e qualquer político. Tornando Lula, Aécio, Bolsonaro, Amoedo e qualquer outro iguais e na igualdade  quem leva vantagem é mais corrupto pois a lama é sua especialidade.  Ele deixa de parecer sujo já que todos são então tanto faz.

Nessa sanha de derrubar o pt a doença da Anti-política acometeu o país que se convulsionou inteiro vomitou e engoliu a velha política sem saber exatamente o que fazia. E elegeu o pior congresso de sua história. Pior não por ser de direita ou de esquerda mas pior pela qualidade de seus congressistas.  O PSDB seu maior causador também foi uma das suas maiores vítimas e junto com o DEM (antigo ARENA) foram reduzidos a metade do seu tamanho. 

O Bolsonarismo surgiu justamente desse lugar com uma bancada absolutamente inoperante e babando de ódio com seus próprios deputados obstruindo as pautas do governo. 
Já o PT, bom, o PT seguiu sendo a maior bancada do congresso pois era o único dos grandes partidos que possuia militância e essa militância não foi contaminada pela Anti-política, pelo discurso dos jornais e pela perseguição jurídica. Aliás a prisão do Lula teve o efeito contrário ressuscitando o petismo de muitos que já não militavam. Os demais partidos mais à esquerda também cresceram ficaram bases.

O PSDB tentou acabar com o PT para assumir seu lugar mas seus ataques enfraqueceram toda a política e o enfraqueceu muito mais que o PT. Desde 1989 sempre que há segundo turno o PT está nele. Durante toda a eleição preferiram atacar o PT do que mostrar o monstro que o Bolsonaro era. Já sabiam de todos os crimes e corrupções dele, de todas as suas falas monstruosas. 

Se a rede Globo quisesse poderia manipular a eleição para tirar o Bolsonaro do pleito como  já manipula eleição após eleição.  Material gravado não faltava era só escolher o que passar no jornal nacional no primeiro e segundo turno. 

Só que todos acharam que iam poder controlar esse monstro fascista. Aliás  a direita democrática sempre faz isso quando começa a perder demais aposta num Fascista achando que pode controlar. Churchill e Cia também achavam que podiam controlar Hitler.