Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

quarta-feira, 18 de março de 2009

Por seu Paladar

Lucas C. Lisboa

Saiu de sua morada e escolheu, depois de muito procurar, o espécime pretendido entre os mais saudáveis, belos e de macia carne. Mesmo sem o hábito não teve dificuldades em abatê-lo, limpá-lo e separar os cortes mais nobres. Dispensou os restos e as partes de segunda categoria. Guardando suas escolhidas bem refrigeradas para que conservassem apropriadas para o momento do deguste.

Resfriado Retirou o primeiro corte e o deixou descansar sobre a mesa da cozinha enquanto cuidava dos demais afazeres de sua morada. Quando retornou sorriu ao ver sua peça, escolhida com muito esmero, coberta e já semeada pelas moscas. Estava feito e ela pode sair novamente em busca de mais um.

A caça não era de modo algum escassa e ela também não tinha qualquer pressa. Aguardou até que o espécime ideal lhe cruzasse o caminho. Se na primeira vez já não houve qualquer dificuldade, dessa o fez por puro instinto e reflexo. Então preparada e acondicionada como fizera com sua primeira pôde se dedicar ao preparo do banquete que há tanto tempo esperava.

Do mercado local trouxe cebolas brancas e roxas; pimentões vermelhos, amarelos e verdes; alho e também hortelã. Mandou importar de um pais do leste europeu uma especiaria que sequer saberia pronunciar adequadamente, mas que lera ser o melhor e mais indicado para seu fino prato. Da peça sobre a mesa pinçou todas as iguarias já maduras para o consumo. E de outra peça retirou bifes bem suculentos cortados na mais justa medida.

Chegado ou momento picou todos os ingradientes, em tiras bem finas e ajustadas ao tamanho de sua coleta, azeitou a frigideira e com todo cuidado adicionou um a um ao preparo de sua refeição. Quando tudo pronto, posta a mesa e servido seu prato, percebeu que sua taça repousava vazia sobre a mesa. Praguejou irritada por seu esquecimento do acompanhamento para seu prazer. Levantou-se e foi, rápido para que não esfriasse o jantar, à padaria comprar coca-cola.

4 comentários:

Anónimo disse...

Não é meu tipo de leitura ,mas como sempre a sutileza com que dispoe as palavras é imprecionante.
Desejo muitas felicidades pra ti ,e principalmente na carreira literária.

Um forte abraço
da Nayka

Érica Nicoli disse...

Adorei, continua me dando sustos, mas dessa vez o resultado foi uma boa gargalhada.
Comprar coca-cola é típico de vc e sua patota.
Beijo grande!

BOLSAS LADYDAY disse...

que bom é te ler
que coisa nunca ter te visitado
que coisa
gostei do blog
o meu é souumhomemdepaixoes.zip.net
bjs day

Lih disse...

Obrigada!