Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Sonetilho


Lucas C. Lisboa

Quando o sol nascer do norte
e ninguém temer a morte...
Brindaremos às estrelas,
sem o medo de perdê-las!

O veneno fará forte,
no prazer de cada corte!
pintadas nas aquarelas,
feiúras tornadas belas...

serão sanhas revividas
pruma talentosa gralha
que compõe canções queridas!

São roseiras na muralha
de carnes apodrecidas!
(ou qualquer coisa que valha)

3 comentários:

Bárbara (B.) disse...

"coisas feias que viram belas..."

Depende do olhar de quem vê. Quem admira o imperfeito, como eu, se encaixa muito bem nas tuas palavras.

Bárbara (B.) disse...

Alguns bilhões de mulheres... viveis para entendê-las e saciá-las pois eu nunca consegui.

Risos.

luca disse...

forte... palavras mto bem colocadas!!!