Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

sábado, 2 de janeiro de 2010

Férreo Ferro

Lucas C. Lisboa

O fazendeiro de pregos
plantava com seu martelo
pra colher enferrujados
regava com muito esmero

Queria bem avermelhados
os pregos do seu castelo
para ferir os descuidados
em seu banquete singelo

E para fechar as portas
da comilança sem cela
ou arreio há as cordas

Comida era farta e bela
com os parafusos, porcas
e uma ou outra arruela
Enviar um comentário