Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Passeio entre rochedos e oliveiras

Lucas C. Lisboa

Amo vinho, versos, vela e venda
Quero a noite pra lhe desvendar
Faremos do meu lençol a tenda
pras noites de sonhos bem guardar

Até por fim que no fundo me entenda
pois sem mim não pode mais ficar
Venha que eu quero que aprenda
meus truques de fino paladar

E desejará lençóis que lhe prenda
as mãos sem que possa se soltar
Até que muito mais se surpreenda
com meu jeito de lhe dominar!

Pois sequer pense ou compreenda
Venha, relaxe e deixe-se gozar
Seremos muito mais que qualquerlenda
que por pudor ninguém ousa contar


Enviar um comentário