Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Marionete de trapos coloridos II

Lucas C. Lisboa

Pois quando noto seu, de fel, sorriso
Eu me deleito nesse doce apreço...
e de tamanho prazer regojizo,
tanto que ao deleite até me esqueço.

Gargalho por ver este olhar nervoso,
aos pesadelos quando eu lhe apareço
a divertir-me no mais puro gozo
Nessas palavras-linhas lhe enlouqueço

Sem mim teus passos são vagos, perdidos.
Sozinha és sem encanto, faz só dormir.
Jogada em qualquer canto o pó cobrindo

Marionete de trapos coloridos,
és assim tão linda que me faz rir!
Pois agora me dance, estou assistindo...

3 comentários:

Bruno disse...

Tentei te ligar essa semana toda, mas teu telefone estava sempre fora de área de serviço ou desligado.

Se for marcado um segundo encontro me avise, me ponha a par dos acontecimentos.
Abraços

Lilith Caçadora disse...

Adorei a mudança...ficou mais sonoro, mais vivido, ficou lindo..
parabéns Sr.
continue assim trabalhando para reser sempre...
beijos mil

Mona lisa Budel disse...

Olá !!

Cara adorei teus poemas !! normalmente não gosto de métrica nos versos, mas vc usa muito bem a organização sonora das palavras, é contemporâneo !


Muito Bom !!!!

www.monalisabudel.blogspot.com