Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

A Barca Estígia

Lucas C. Lisboa

remam remoendo seus erros e dores
desmortos remorrendo seus terrores
rutilam roucos todos desprezados
amargando prantos encarcerados

rancorosos remam plo rio d'orrores
presos por arreios de mortas flores
rosas, cravos, outrora derramados
sobre o eterno repouso dos finados

morreram e agora remam penitentes
sofrem por seus viveres indecentes

pois remam por seus crimes cometidos
mesmo quando pros vivos esquecidos

remam sofridos na barca da morte
praguejam por sua tamanha má sorte
Enviar um comentário