Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

domingo, 9 de agosto de 2009

Pela fome amada

Lucas C. Lisboa

Ele chegou com uma caixa de Mousse au Chocolat para sua amada. Sabia de sua tara por doces e principalmente por chocolates. A textura cremosa com certeza lhe cairia bem ao paladar.

Pediu, para não contrariar o clichê, que fechasse bem os olhos enquanto apertando bem um tablete dirigiu seus dedos envoltos de musse e chocolate até os lábios dela.

Decerto que ele conhecia bem o segredo daquela pequena de cabelos cacheados e olhos castanhos, de sua tara por mãos e chocolates. Não poderia haver idéia melhor do que juntar ambos.

Com as mãos de chocolate chegando bem perto de seus lábios não pôde recusar o impeto e todos os dedos devorou com voracidade. Ele sequer percebeu a dor que era para ter sentido. Estava encantado demais em observar a fome e a volúpia que tinha provocado.
Enviar um comentário