Publicação em destaque

Poeta e apenas poeta

Já me olharam espantados quando digo que sou poeta e só poeta. Que não canto, nem danço, nem atuo, nem pinto, nem bordo, que "só" ...

domingo, 17 de agosto de 2008

Tempestade

Lucas C. Lisboa

Depois de por todo o mundo
soprar numa busca perdida
até no abismo mais fundo
procurara sua querida

Entrou num bosque profundo
de tais belezas escondidas
e pelo vale fecundo
encontrara as esquecidas

O Vento dançou co'as pétalas
inebriado plo perfume
doce e saboroso delas.

Pois eram flores mais belas
que semearam seu gume
na tormenta de quimeras
Enviar um comentário